Histórico

Histórico do Laboratório

Criado em 1982 pelo Prof. Dr. Bruno Rodolfo Schlemper Júnior, o Laboratório de Protozoologia (LP) do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP) do Centro de Ciências Biológicas (CCB) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) dedica-se ao estudo de diferentes espécies de protozoários parasitos humanos e animais e seus vetores, utilizando como modelos experimentais o Trypanosoma cruzi, o Trypanosoma rangeli e diferentes espécies do gênero Leishmania.

Desde o início de suas atividades o LP colaborou, extra-oficialmente, no auxílio do diagnóstico da doença de Chagas e de leishmanioses para distintos órgãos governamentais. De 2001 a 2010, o LP foi o laboratório de referência estadual para o diagnóstico da doença de Chagas e de leishmanioses, sendo reconhecido pela Secretaria de Estado da Saúde do Estado de Santa Catarina.

Atuando em ensino, pesquisa e extensão universitárias, o LP tem desenvolvido nos últimos anos inúmeros trabalhos abordando diferentes aspectos da biologia in vivoin vitro e biologia molecular de tripanosomatídeos patogênicos (T. rangeliT. cruzi e Leishmania spp.), incluindo estudos de epidemiologia, diagnóstico, isolamento, tipagem/caracterização e tratamento. Diferentes aspectos biológicos desses tripanosomatídeos foram abordados, dentre os quais podemos citar estudos sobre a diferenciação in vitro, avaliação de sua infectividade frente a diferentes hospedeiros vertebrados e invertebrados e frente à distintas linhagens celulares e a análise de variabilidade intra-específica e inter-específica. Na área de biologia molecular o laboratório tem estudado a variabilidade intra- e inter-específica de genes e de marcadores microssatélites, além de ter publicado o transcriptoma, o genoma e o proteoma do T. rangeli.

Ao longo dos anos, o LP teve a oportunidade de estabelecer um criobanco de amostras de T. cruziT. rangeli, diferentes espécies do gênero Leishmania assim como de outras espécies de protozoários parasitos e comensais, totalizando mais de 400 amostras isoladas de diferentes reservatórios e/ou vetores. Estando a maioria das amostras devidamente caracterizadas por métodos biológicos, bioquímicos e/ou moleculares, o LP passou em 2003 a ser reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente como laboratório fiel depositário de amostras do patrimônio genético passando, então, a manter um banco de tecidos ou de DNA de diferentes espécies animais e vegetais.

O desenvolvimento de modernas técnicas de biologia molecular no LP iniciou com a inserção do grupo no Projeto Genoma Nacional, tendo concluído o genoma da Chromobacterium violaceum e do Mycoplasma synoviae. Como consequência, o grupo participou em diferentes projetos genoma regionais onde sequenciou-se os genomas de duas cepas de Mycoplasma hyopneumoniae (PIGS), da bactéria Herbaspirillum seropedicae (Genopar), do camarão Lythopenaeus vannamei (ShEST) e, recentemente, do genoma do T. rangeli no âmbito do projeto genoma nacional, onde também foram publicados os estudos dos genomas do mosquito Anopheles darlingi, principal transmissor da malária no Brasil, e dos parasitos Angomonas deanei e Strigomonas culicis.

Uma outra importante linha de pesquisa do LP e o estudo da atividade anti-T. cruzi e anti-Leishmania spp. de extratos e frações de espécies vegetais da mata atlântica e do cerrado, bem como de compostos sintéticos. Este trabalho vem sendo desenvolvido em colaboração com diferentes instituições , sendo que destas colaborações já resultaram vários artigos publicados em periódicos, duas dissertações de Mestrado finalizadas e mais uma dissertação de Mestrado uma tese de Doutorado em andamento, alem de dois artigos submetidos para publicação. Já foram testados algumas centenas de extratos, frações e compostos puros e atualmente estão sendo desenvolvidos estudos de estrutura x atividade, visando incrementar a especificidade e a eficácia de vários compostos selecionados para avaliação em modelos celulares in vivo.

A participação em projetos de grande relevância possibilitou ainda a efetivação de colaborações com outros pesquisadores e grupos de pesquisa de renome nacional e internacional, constituindo uma forte ligação com o Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia & Biociências da UFSC, permitindo a participação e a formação de estudantes de Mestrado, de Doutorado e a agregação de Pós-Doutorandos.

Atualmente as atividades do Laboratório de Protozoologia são coordenadas pelos Professores Mário Steindel, Edmundo Grisard, Patrícia Stoco e Glauber Wagner que contam com a colaboração de diversos alunos de Graduação, de Pós-Graduação, Pós-Doutorandos, Técnicos e bolsistas de diferentes agências de fomento, formando uma grande equipe. Os trabalhos são desenvolvidos no âmbito dos seguintes grupos de pesquisa registrados no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq:

Colaborações internacionais foram estabelecidas com diferentes instituições como a University of California Los Angeles (EUA), com a Universidad Mayor de San Simon (Bolivia), com a Pontificia Universidad Javeriana, Universidade de Antioquia e Universidade del Tolima (Colombia), com o Biomedical Research Centre, School of Medicine, Health Policy and Practice, University of East Anglia (Reino Unido), com a London School of Hygiene and Tropical Medicine (Reino Unido), com o Centers for Disease Control and Prevention – CDC (EUA) e, recentemente, com a Universität Münster (Alemanha) e com o Karolinska Institutet (Suécia).

No Brasil, as principais colaborações estabelecidas são com o Instituto Oswaldo Cruz (RJ), com o Centro de Pesquisas René Rachou  (MG), com o Centro de Pesquisas Gonçalo Muniz (BA) e com o Instituto Carlos Chagas (PR) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), com a Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), com a Universidade Regional de Blumenau (FURB), com a Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com a Universidade Estadual de Maringá (UEM), com a Universidade de São Paulo (USP) e com a Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP).

De 2011 a 2015, o Dr. Alvaro José Romanha, Pesquisador Titular Aposentado do Centro de Pesquisas René Rachou da FIOCRUZ em Belo Horizonte, agregou-se ao grupo como Professor Visitante da UFSC, aportando substancial conhecimento e novas propostas em todas as linhas de pesquisa do laboratório, do departamento e do PPG em Biotecnologia e Biociências. Em 2015, dois novos professores recém-contratados na UFSC agregaram-se ao grupo de professores do laboratório, a Dra. Patrícia Hermes Stoco e o Dr. Glauber Wagner. Neste mesmo ano o Prof. Mário Steindel foi promovido à Professor Titular (Classe E), sendo o Prof. Edmundo Grisard promovido à mesma classe no ano de 2016.

Baseados nos projetos e linhas de pesquisas desenvolvidas, o grupo tem mantido uma produção científica constante e de qualidade, e que está intimamente associada à formação de recursos humanos plenamente capacitados. As publicações do grupo ao longo de sua história somam mais de 100 artigos científicos e diversos capítulos de livros, os quais estão disponíveis através do PubMed e dos curricula dos Professores Mário SteindelEdmundo GrisardPatrícia Stoco e Glauber Wagner estão disponíveis através da Plataforma Lattes do CNPq.

Em 2012, o Laboratório de Protozoologia comemorou os seus 30 anos de fundação, reunindo alunos, ex-alunos e colaboradores em uma festividade realizada em 07/07 no Hotel Torres da Cachoeira em Florianópolis.

Na ocasião, após palestra do Prof. Fernando Dias de Ávila Pires sobre a evolução da parasitologia (Clique aqui para ler o texto da palestra), foi entregue uma placa comemorativa ao Prof. Bruno Rodolfo Schlemper Júnior, fundador do laboratório (foto à esquerda),  na presença da Magnífica Reitora da UFSC, Profa. Roselane Neckel, do Pró-Reitor de Pesquisa, Prof. Jamil Assreuy, da Diretora do Centro de Ciências Biológicas, Profa. Sonia Carobrez e do Chefe do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia, Prof. Carlos Zanetti (Foto à direita), assim como muitos de seus 120 alunos ou ex-alunos, brasileiros e estrangeiros. O Laboratório de Protozoologia da UFSC orgulha-se de seus 34 anos dedicados à pesquisa científica e à formação de recursos humanos.

Com a construção dos novos blocos do CCB iniciada em 2013, o LP deverá se transferir para uma nova área no Bloco G, ocupando seu oitavo andar. Naquele novo espaço, todas as áreas do laboratório hoje dispersas estarão congregadas, sendo que o mesmo espaço albergará ainda o Laboratório de Bioinformática (MIP/CCB). O acompanhamento da construção do novo laboratório pode ser conferida neste link e uma projeção das novas edificações pode ser observada abaixo, onde o piso superior do prédio mais à direita albergará o LP.

VISTA-1

LABORATÓRIO DE PROTOZOOLOGIA (MIP/CCB/UFSC):
MAIS DE TRÊS DÉCADAS DEDICADAS AO ENSINO, À PESQUISA E À FORMAÇÃO